17.4.07

lados inversos


Senti sol e chuva.
Uma vaga de sentimentos passou por aqui. Arrastou consigo abraços, promessas e momentos passados. De tão imprevisível ter sido, eu simplesmente fui contra ela, a toda a força. Destruiu o meu interior e deixou dúvidas, muitas dúvidas acerca do que sinto por Ti.
Se pudesse sentir os sentimentos como sinto a relva debaixo de mim, talvez te dissesse na cara tudo o que está aqui entalado. E talvez ficasse tudo bem de novo. Era o que no fundo queria...





- esconde esse sorriso que me faz querer matar por mais.

5.4.07

acreditas?

Sei-te melhor do que o que pensava. É-me impensável alguma vez te magoar, porque também estaria a fazer mal a mim mesma. És-me mais do que o que eu julgava, fazes-me falta. Não duvides.
(...)


E com isto realiza-se que tudo muda, tudo muda mesmo. Do estar bem ao estar mal, do estar mal ao estar bem. Podemos perder tempo, mas ganhamos esperança e vida.
Talvez as tuas palavras compensem isso, é que, mais tarde ou mais cedo, são ditas e sinceras.
(...)
Já outro dia senti o tempo a passar por mim, mas ao mesmo tempo enchia-me de vida, tão devagar... tão calmamente...
Caminhava então, acompanhada daquela música, naquela estrada, naquele dia.
E tudo me parecia tão simples, tão simples quanto o é. E, naquele momento, vivi.




- do you believe in what you feel?




4.4.07

primeiro

- não ficou esquecido.

Logo, venho cá para escrever aqueles momentos. Prometo.

1.4.07

a perceber

- Tira-me daqui.
Ele disse, assim, em tom de conversa já meia desafinada.
Cá dentro, eu sorri. Um sorriso franco e espontâneo, tal e qual.


Se um dia quiseste chorar, garanto-te que tudo vai mudar.
É que sabes... não sorri por nada, sorri por tudo. E os bons momentos fazem-se assim.




-excerto.