13.10.07

O tempo passa.


O tempo passa.
De repente, paramos e vemos o que ficou nas nossas costas, vemos os nossos momentos, as nossas rotinas... que, sem lhes dar justificação, largámos. Vemos o que tanto gostávamos de fazer, vemos a nossa vida.
E eu vejo-a assim todos os dias. Recordo todos os dias os meus erros, os caminhos que fui minuciosamente escolhendo, os meus hábitos.
Facilmente se vai percebendo que tudo muda, que os nossos sentimentos são dos outros. Infelizmente ou não, somos escravos do tempo que passa em e por nós. Custam-me tanto deixar.
Custa-me tanto afastar-me. Custa-me tanto ter que esquecer.