11.5.08


- I will write you a love song.

cheirinho

E por falar em voltar,
volto com a periferia do meu pensamento consideravelmente mais alargada.
Tenho uma base mais segura daquilo que sei, daquilo que os outros sentem de mim, do que os outros sentem de mim. E isto é, sem dúvida, reconfortante.
Continuamente, tenho feito perguntas a mim mesma, como se não me conhecesse. E tenho encontrado alguém muito mais sólida de sentidos que antes encontrara. É uma sensação identica ao olhar para uma folha ao vento e ter a certeza que ela não se vai largar da árvore e voar sem destino. Esta analogia talvez não tenha sido a melhor, mas também houve imensas coisas que não foram as melhores e que agora começo a saber porque. Portanto, que ninguém me venha dizer que, mais tarde, não possa compreender o porquê de a ter feito.
(...)
É um cheirinho a coisas boas. É um cheirinho a vida, a uma vida contigo. E é bom tê-la, tendo-te também.





joana*