20.3.11





Às vezes, tudo o que vejo é inatingível.
As malhas rugosas das pedras da rua negam-me o caminho que faço.
É tudo escuro, é tudo incapaz de ser visto, simplesmente porque não existe. Mas eu ando e avanço e piso constantemente a incerteza da minha vida...