22.6.07

há uma hora


Passou uma hora. Hão-de passar duas, um dia, uma semana, um sempre. Um sempre que nunca me pareceu que fosse assim. Um sempre que prometemos um ao outro que nunca não seria assim. Mas com que direito vamos nós invadir o futuro? Onde vamos buscar todas aquelas forças para tomarmos o mundo como nosso, onde fazemos da realidade um sonho e de onde não queremos sair? Porque é que existem palavras? Porque é que existem palavras que nos fazem sentir? (...) Tudo isto existe, e existe porque tu e eu existimos, mas o nós já existiu.




.