17.8.08

Sinto-me sozinha. E só tu é que podes desfazer essa ausência.







.

11.8.08

de dia em dia




Outro dia ouvi-me. Trazia palavras esquecidas, um pouco asfixiadas de tempo, que precisavam de atenção. Encontrava-me abandonada por dentro, com cheiro a nada. Confesso que, ao inicio, aquela imagem avassalou-me e, por isso, tentei engolir a seco e recomeçar, ser forte. O pior é que eu não sei o que é ser forte, eu não sei o que é atacar uma vez que tenho estado sempre à defesa da vida. Tenho uma posição meia ambígua no que diz respeito a isto. Ainda há pouco li, algures: "O melhor ataque é estar sempre à defesa".
E entre ambiguidades e incapacidades, pedi a tua ajuda. E tu vieste, pálido e imprevisível como sempre. E aqui tens estado; a ajudar a arrumar-me por dentro, fazendo gostar cada vez mais de ti.


8.8.08

paralelamente


A arte não é outra coisa senão a força de sugestão de um detalhe.

5.8.08

és sempre um bocadinho mais


Mesmo à beira mar, mesmo na areia húmida.
É o final da tarde, o vento sopra na perfeição melódica das ondas que vão chegando. Arrepio-me e sinto que o mais fácil é sentir a tua falta. Cada vez ocupas um bocadinho mais de mim.



..juana