22.11.08

heart

É só mais um emaranhado de palavras de amor.

Depois de te ter e não ter e voltar a ter, descobri que és tu de quem estou sempre à procura. Mesmo que não oiça, não cheire, não veja... és sempre o ar de que preciso para estar bem. Procurar-te em mim ou no teu lugar é a mesma coisa. Nunca deixes de ocupar com fantasia o teu espaço, assim nunca me deixas.

Agora abraça-me e dá-me o teu peito, para sempre nesta melodia.

13.11.08

damor

O amor é doer.
Por dentro, de dentro para o outro, o nós.
Emoção confortável,
A arrastar-se nas horas.
Perde-se.
Encontra-se.
E há o abraço com cheiro a paz.
Depois a certeza de que
Tudo o que se abraçou
Foi o aperto da distância.



Fim.

9.11.08

Anoitece e tu não estás, nem dizes nada.
Frio, distante, longe.
Coração perdido com medo de se encontrar.